segunda-feira, 25 de abril de 2011

Mares de Cerveja - Wander Wildner



O sol nos esclarece
Esqueço o escuro e saio
Espuma transbordando
De canecos de coragem.

A Terra nos protege
O resto eu mesmo faço
Mares e maremotos
Sonhos que não vão dormir.

Um dia bom me basta
Desde que abasteça
Meu navio vagabundo
Com tempo pra vadiar.

Mares de esquecimento
Onde navega cegos
Ondas evaporadas
Navegando sobre o mar.

Reconquistar a força pra remar
E navegar em mares de cerveja
Embebedar o medo de arriscar
E navegar em mares de cerveja.

A busca nos persegue
O mistério nos cerca
A mosca explora o mapa
Que nada significa.

Motim na minha cabeça
Naufragam velhas rotas
Ilhas de descobertas
Coisas que ninguém explica.

Reconquistar a força pra remar
E navegar em mares de cerveja
Embebedar o medo de arriscar
E navegar em mares de cerveja.

Nenhum comentário:

Postar um comentário